Buscar
  • Renata Tedesco

Kit básico e moderno de sobrevivência para quem recruta.

Atualizado: 28 de Out de 2020



Trabalhei em uma das maiores empresas do mundo, a Microsoft.


Mas antes, preciso te contar que até 2009 eu vivia recrutando como caçadora na selva africana, sem armas, sem roupas, andando sob o sol sem água.



Éramos eu e vários recruiters no meio de disputas com o comercial das consultorias e o cliente. Aprendi a “arrumar” candidatos em menos de 2 horas e por vezes me sentia operadora da Bolsa de Valores negociando ativos e vendendo ações.



Assim que a nossa profissão intimamente começava: capturando talentos de porta em porta. Sem kit, guia ou manual.


Mas um dia, tudo mudou.


O que eu não sabia até entrar na Microsoft fazia parte do fantástico mundo moderno do recrutamento que eu jamais sonhei que existisse:


um mundo de recrutamento mais organizado.


É. Todos os processos seletivos por lá eram baseados em mini projetos. Quero dizer que as ferramentas que usávamos eram padronizadas para que todos tivessem acesso.


  • Job description organizado.

  • Hiring Manager engajado

  • Sistema de seleção unificado

  • Avaliações baseadas em dados de performance

  • Cultura colaborativa


Quase 0 sensação de pastelaria

Então, inspirada por práticas que deram certo comigo na multinacional e que podem ser usadas nas pequenas e médias empresas, eu compilei neste artigo 4 ideias de um recrutamento eficiente e moderno para você começar certo já!


1. Defina a sua Persona


O grande hábito dos recrutadores é sair procurando por alguém cuja imagem só existe na cabeça do gestor.

E isso é um problema grande.


Você procura por uma pessoa específica e o dono da vaga, por outra.

Já imaginou que bagunça vai sair na sua lista de candidatos indicados?


Vale a pena, então, dar uma olhadinha no Gerador de Persona da Rock Content.


Persona nada mais é do que um método de segmentação de quem o seu negócio quer atingir no mercado.


No caso, quem a sua vaga quer atingir no mercado. Por exemplo:


Pessoa Desenvolvedora Mobile Sênior


Público alvo: homens e mulheres, de 25 a 45 anos, graduados, pessoas que frequentam eventos grandes de tecnologia.

Persona: Jorge Silva, 28 anos, gosta de trabalho remoto, tem 2 filhos, formado em Análise de Sistemas e costuma acompanhar participar de Summit, Hackathons e palestra no TDC (The Developers Conference).


Será que o seu gestor tem a mesma Persona em mente?


Vale checar e fazer o exercício.



2. Tenha uma caixa de ferramentas



Não comece pela planilha Excel.
















Se você decidir que um caderno vai te ajudar, tá tudo bem. Mas, lembre-se de que um caderno é uma ferramenta não automatizada.


Ele pode te ajudar e serve muito bem para seus rascunhos, seu desenho de ideias, suas anotações que não podem ser perdidas. Mas, que tal já começar certo e usar ferramentas de gestão colaborativas?



Trabalhe de forma compartilhada


Nada de guardar informações só pra você!


Hoje, uma das soft skills (habilidades e competências) mais desejadas pelas empresas segundo o relatório do Fórum Economico Mundial em 2020 chama-se "Coordenação", que nada mais é do que a habilidade de facilitar processos e colaborar entre grupos.


Você não precisa ser expert em ferramentas e tecnologias para começar a se organizar. Se achar que o Excel funciona pra você, tudo bem também. Mas, por favor, experimente a ferramenta do Google Sheet e comece certo!


Conheça, então, o Trello. É uma ferramenta para gestão do trabalho e pode ser usado facilmente para montar um pipeline de recrutamento caso a sua empresa ou você não tenham um software específico.



O seu melhor amigo


Você pode utilizar os quadros depois de checar currículos e apenas organizar as informações de quem realmente está no processo seletivo


ou


organizar um banco de nomes ou de currículos (não gosto muito dessa ideia, mas vamos aos poucos, pois temos soluções para que currículos sejam ativos e não guardados).


Você pode usar recursos de comentário, checklist de atividades, datas de entrega de projetos, adicionar membros da sua equipe, mandar mensagens e até promover integração com o candidato.


Imperdível!




3. Automatize o seu Trabalho


Usando a Landing Page e E-Mail Marketing



Eu sairia divulgando a vaga em todos os lugares possíveis.


Até a alguns anos atrás.


Hoje, você não precisa mais viver de classificados e seleções sem sentido.


Antes de sair por aí publicando vaga, adquira uma página de captura, ou seja, aquela isca ou oferta tentadora que possui elementos que convertem o visitante em Lead.























Sim, a Landing Page capta o e-mail da pessoa interessada na sua oferta (que pode ser um e-book com conteúdos que a sua Persona gosta) e te “avisa” que existe uma pessoa interessada na sua vaga!



Ao invés de você receber inúmeros currículos (e não conseguir lidar com todos eles), será mais assertivo fazer relacionamento com aquele possível candidato ideal que veio através de uma ferramenta de automação de marketing!



E-Mail Marketing



Acesse e trabalhe com uma ferramenta de e-mail marketing para disparar a sua mensagem para toda a sua base de candidatos.


Quem estiver interessado vai clicar no link que leva à vaga e você evita investir um esforço maior em buscar candidato por candidato na internet.


A ferramenta do Klickpages tem toda uma estrutura legal para você começar a automatizar o recrutamento e convencer o time!




4. Agende o Feedback


Talvez este último item na lista básica de sobrevivência do recrutamento moderno te deixe frustrado.


Talvez você considere o “feedback” uma parte chata ou menos importante de todo o seu projeto, mas eu te digo que você está errado.


Essa é a parte mais importante.


Para fazer com que o seu processo seletivo ganhe novos seguidores, embaixadores (pessoas que falam bem da sua marca) e , de fato, mude a carinha do recrutamento no país, você vai precisar:


Um sistema automatizado de feedback e fechamento do processo seletivo.

Ué! mas eu não tenho isso.



















Sem problemas.


Vamos a uma alternativa que já funcionou comigo em 90% de todos os casos que vivi.


Agende a data do feedback com o seu candidato.

É isso mesmo!


Mesmo que você não tenha nada a dizer. Mesmo que não tenha resposta do gestor. Mesmo que o processo esteja em andamento. Mesmo que você não saiba se ele vai continuar no processo.


Agende.

É simples.


Você vai precisar:



Ou a ferramenta que você quiser.


Peça ao candidato que aceite o convite e que acompanhe.


Você vai se surpreender com a quantidade de pessoas que não estão completamente interessadas no processo seletivo.


Você também vai se surpreender com a quantidade de pessoas que respondem bem a esse compromisso.




37 visualizações1 comentário